skip to main | skip to sidebar

O EPITÁFIO


Elder Ferreira

Humans of New York/Little Humans - Brandon Stanton


Título: Humans of New York (Humanos de Nova York)

Autor: Brandon Stanton

Páginas: 304

Editora: St. Martin's Press

ISBN: 9781250038821

Ano: 2013










No início do ano passado, inscrevi-me no edital do Ciência sem Fronteiras e depois de uma longa espera fui informado que meu destino seria os Estados Unidos. Um pouco receoso, pois até então meu conhecimento da língua inglesa pairava no intermediário, decidi curtir páginas estrangeiras no Facebook com o intuito de internacionalizar a minha timeline e me acostumar com inglês sempre, a toda hora e a todo momento. Na época, busquei posts sobre páginas que você deveria curtir na rede social do Zuckerberg e entre as sugestões encontrei páginas de notícias, memes, feminismo e uma outra um quanto diferente chamada Humans of New York, criada pelo fotógrafo americano Brandon Stanton.

Depois de ser demitido do trabalho em Chicago, Brandon se mudou para New York City motivado pela ideia de criar um censo fotográfico da cidade. Em 2010, ele iniciou um blog com retratos de pessoas aleatórias pelas ruas de New York e trechos de conversas que ele ocasionalmente matinha com os fotografados. Devido ao sucesso, o blog se tornou uma página no Facebook e hoje a página reúne quase onze milhões de curtidores. Em outubro de 2013, Humans of New York, o primeiro livro publicado pelo fotógrafo, se tornou um bestseller nos EUA. Em outubro desse ano, ele lançou seu segundo livro, Little Humans, que é nada mais que uma coleção de fotos de crianças - mais estilosas que eu, você e todos nós juntos - pelas ruas de New York.


"What do you miss most about Brazil?"
"I'm not sure how to say in English. Can I email you?"
"Just try."
"In Brazil. My people. Money or no money. Still happy."

O projeto me cativou, mas não exatamente por ser em New York ou pela qualidade das fotografias, e sim pela forma como (talvez sem perceber de início) o Brandon Stanton fez com que pessoas ao redor do mundo percebessem que todos nós temos nossas histórias e próprios fantasmas. Diariamente, indivíduos cruzam os nossos caminhos carregando dramas e memórias que desenvolvem em nós seres humanos a sensibilidade necessária para entender e até mesmo nos conectarmos ao próximo, visto que o que nos conecta ao outro nem sempre é a formosura, mas sim a vulnerabilidade que o outro tem em si. E no momento em que nos colocamos no lugar do próximo e compartilhamos da sua dor, não apenas evoluímos, mas também mostramos um dos sentimentos humanos mais nobres: a compaixão. 

Entre agosto e setembro de 2014, Brandon engatou em uma iniciativa com a Organização das Nações Unidas onde ele visitou e fotografou por cinquenta dias pessoas de onze diferentes países - Iraque, Jordânia, Uganda, Quénia, República Democrática do Congo, Sudão do Sul, Ucrânia, Índia, Vietnã, Equador e Haiti. O propósito da "volta ao mundo" era sensibilizar as pessoas sobre os 8 Objetivos do Milênio proposto pela ONU. Eu, por outro lado, batizei a iniciativa de "quebra sutil de esteriótipos e preconceitos" e de "tapa de luva de pelica na cara dos intolerantes". Enquanto algumas pessoas estão acostumadas a associar a região africana, por exemplo, com crianças famintas e seca, a iniciativa mostrou que o que achamos saber sobre a região africana é na verdade pouco e que os esteriótipos podem ser perigosos demais a ponto de não nos deixarem enxergar a beleza e grandiosidade por trás das preconcepções. 


"What are your hopes for them?"
"We left our hopes back in Syria."

(Zaatari Refugee Camp, Jordan)

Para a minha profunda tristeza, nenhum livro sobre a tour ao redor do mundo será lançado, mas ao menos os posts podem ser encontrados na página, no blog e também espalhados pela internet. Porém, os dois livros lançados pelo fotógrafo vieram parar nas minhas mãos - tendo um deles, Humans of New York, sido autografado no início do ano quando assisti a uma palestra inspiradora que o Brandon deu na University of Rochester. O segundo, Little Humans, ganhei de presente de aniversário há alguns dias atrás e foi o que me motivou a escrever o post. Não que eu não tivesse motivos para escrever antes, mas dessa vez me senti na obrigação de informar as pessoas sobre esse projeto que tanto me encanta.

Humans of New York, o primeiro livro, segue o mesmo estilo da página e contém fotos e histórias de pessoas pelas ruas de Nova York. Em alguns momentos, porém, são apenas fotos, mas as imagens são descrições suficientes. Infelizmente, o trabalho dos editores fez que com algumas fotos fossem cortadas pela metade, destruindo o impacto que elas poderiam causar e algumas legendas das fotos também foram reduzidas, o que fez uma parte do encanto das histórias ir embora. Little Humans, é um livro para crianças com fotos de crianças mais estilosas que todos nós e que talvez, por ser infantil e não trazer as histórias que geralmente vêm acompanhadas as fotografias, deixa a desejar para os adultos fãs da página e do trabalho do Brandon. Ao invés das descrições comumente encontradas, as legendas em Little Humans foram trocadas por um poema de versos livres que celebra a infância.


Título: Little Humans (Pequenos Humanos)

Autor: Brandon Stanton

Páginas: 40

Editora: Farrar, Straus & Giroux Inc

ISBN: 9780374374563

Ano: 2014

É nítido que o post não é necessariamente uma resenha, mas tenho certeza que sem muito esforço vocês podem encontrar resenhas muito boas sobre os dois livros. Eu não poderia, porém, deixar de falar de um trabalho que há tanto tempo tem deixado minha timeline mais agradável e que eu acredito que vale muito a pena ser conferido por todos. Compaixão nunca é de menos e que bom que podemos sempre desenvolver e cultivar esse sentimento. Portanto, curtam a página do Brandon e comecem a se envolver e se conectar com desconhecidos que caminham pelas mesmas ruas da vida que todos nós. Mas se o inglês ainda é um obstáculo, recomendo um projeto que recentemente tomei conhecimento, o SP invisível, que por intermédio das suas fotos e histórias busca sensibilizar as pessoas e tenta nos tornar mais humanos, mas esse projeto é conteúdo para um outro post.

7 comentários:

  1. Oi Elder! ^^
    Acho que já tinha ouvido falar do "Humans of New York". Achei um trabalho muito interessante. Eu me interesso muito em fotografia, mais de paisagens, na verdade, mas fiquei curiosa para dar uma conferida nos dois trabalhos. Vou procurar na internet fotos dessas crianças estilosas!

    Sobre seu comentário no meu blog, acho que você deveria aproveitar que o filme está nos cinemas e assisti-lo. Como é só a primeira parte, quando você for ler o livro ainda vai ter uma parte que você não viu. Vai ser uma experiência bem legal! :)

    Beijusss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa

    ResponderExcluir
  2. Oie Elder
    não tinha ouvido falar ainda sobre o projeto do autor, ou os livros, mas a proposta é super interessante.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Elder!
    Super bacana esse projeto. Não conhecia ele, nem os livros, mas fiquei bem interessada.
    Vou dar uma olhadinha, muito embora o meu inglês esteja no nível ruim ou péssimo (rs). Mas com certeza vai valer a pena, nem que seja com um dicionário nasmãos.
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  4. Como eu descobri que amo fotografar e uni isso à minha paixão pelo jornalismo, esse post foi muito relevante para a minha vida sabe... Que incrível esse projeto, dá para perceber a sensibilidade e a humanidade desse homem. Obrigado por compartilhar esse projeto que se tornou livro para nós. Vai contribuir muito para o meu futuro. Abraços.
    http://cafeliterari-o.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Não conhecia esse livro nem esse projeto, mas me interessei muito e achei realmente bacana. Fiquei curiosa!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o trabalho do Brandon mas achei sensacional, capturar a essência das pessoas através de fotos e relatos do cotidiano de cada um e mostrar que aquelas pessoas que cruzam por você todo dia e você mal a olha na face tem dramas e problemas como você e qualquer um que você conheça.
    Obrigado pela dica e parabéns pelo post.

    http://chacomresenha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Muito legal a ideia do cara. Eu amo fotografia...vou dar uma olhada no blog e nos links que você deixou. Fiquei emocionada de ver a foto das duas crianças.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir