skip to main | skip to sidebar

O EPITÁFIO


Elder Ferreira

Clarice

Clarice queria reaprender a andar em passos firmes e queria readquirir a capacidade de caminhar com os pés agarrados ao chão, mas seus sonhos sempre a tiravam da superfície. É uma característica tão adolescente, pensava, a de querer dar passos em estradas que ainda não foram construídas e mesmo assim ela com frequência se despedia do presente para percorrer rotas que só existiam dentro da sua própria imaginação. O futuro era usado como válvula de escape para o agora que, embora promissor, se apresentava sem qualquer encanto aos seus olhos.

Uma das consequências de (re) aprender a andar são as inúmeras quedas envolvidas no processo, concluiu algum tempo depois. Em um dado momento você acha que já tem a coragem necessária para largar os apoios que lhe mantém firme e então você reúne suas forças para ganhar alguma coordenação. Em seguida, você corre buscando estabilidade, mas a pouca experiência faz com que seus pés parem de tocar o chão e de repente você desaba sem entender o que aconteceu a sua volta. O que aconteceu, porém, é que você tentou correr antes mesmo de ter aprendido a se equilibrar. 

Clarice deu início, portanto, ao processo lento de se agarrar ao agora e engatinhou com calma no presente sem usar suas expectativas e sonhos para se erguer. Os tombos que se sucederam lhe ensinaram como andar de acordo com a superfície em que se deslocava. Uns demoram bem mais que outros para perceberem que os hematomas estão presentes em praticamente todos os nossos processos de aprendizagem, pensou. Com isso em mente, ela se preparou para as outras tantas quedas que surgiriam, e se certificou de não dar passos muitos longos e nem sair da parte pavimentada daquilo que ela chamou de seu próprio caminho, o caminho que a liderava no máximo até a semana que vem.

3 comentários:

  1. Oi, tudo bem. Curti o texto, bem poético.

    Abraços,
    Juan Silva - http://asasliterarias.com/

    ResponderExcluir
  2. É parte do aprendizado de quem está aprendendo a caminhar: quedas, hematomas, feridas. Bom, depende do terreno em que se escolhe andar também...

    ResponderExcluir
  3. AMEI o texto. adoro esses textos tipo crônicas e esse fez muito sentido para mim devido a algumas coisas. Amei de verdade, até salvei nos favoritos para ler de vez em quando. Ótimo texto.
    Bjo

    ResponderExcluir