skip to main | skip to sidebar

O EPITÁFIO


Elder Ferreira

Cinquenta Tons de Cinza - E L James

Título: Cinquenta Tons de Cinza
Título Original: Fifty Shades Of Grey
Autora: E. L. James
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 480











O sucesso assustador de Cinquenta Tons de Cinza vem rendendo críticas diversas e muitos burburinhos entre os leitores – e não leitores – da trilogia. Lançado em 2012 e tido como “um pornô para mulher”, o livro de E. L. James une romance e sadomasoquismo em uma narrativa simples e acessível para todo e qualquer tipo de público.

Cinquenta Tons de Cinza conta o romance da jovem Anastasia Steele com o sedutor – bilionário, talentoso e dominador – Christian Grey. Quando Katherine, melhor amiga de Anastasia, adoece e fica impossibilitada de realizar uma entrevista com o CEO da Grey Enterprises Holdings Inc. para um jornal estudantil, Anastasia se vê na obrigação de ajudar a amiga e é convencida a realizar a entrevista com o magnata no lugar de Kate. O encontro, produto do acaso, entre a mocinha simples camponesa de nobre coração – que vai todos os dias ao bosque recolher lenha – e o experiente diretor executivo da Grey Enterprises, é o passo inicial para um relacionamento diferente dos convencionais e uma passagem sem volta com destino ao quarto vermelho da dor.

Sr. Grey é aparentemente o tipo de homem que toda a mulher sonha: bilionário, lindo, mão aberta, inteligente e pianista. Até o dia em que ele aparece com um contrato altamente esquisito que te faz chorar lágrimas de sangue de incerteza e decepção (claro, se você não não for chegada a um sadomaso):

Assinado hoje, ____________de 2011 (“O Início da Vigência”)
ENTRE
SR. CHRISTIAN GREY (“O Dominador”)
SRTA. ANASTASIA STEELE (“A Submissa”)
AS PARTES CONCORDAM COM OS TERMOS ABAIXO
[...]
A Submissa aceita o Dominador como seu amo, com o entendimento de que é agora propriedade do Dominador, para ser usada como bem aprouver ao Dominador durante a Vigência em geral, mas especificamente durante as Horas Designadas e quaisquer horas extras acordadas.


Sim, Sr. Grey é chegado num BDSM (bondage, dominação, sadismo e masoquismo); não, eu não conheço nenhuma mulher disposta a apanhar e levar umas surras de chicote em nome do amor e em favor das descobertas dos campos sexuais. Acontece que de repente Anastasia se vê apaixonada por um homem lindo e rico que nas horas vagas curte um spanking só de zoa, e, ao mesmo tempo em que se deixa levar pela paixão, acaba sendo sondada por incerteza quanto ao caminho que está seguindo e o homem pelo qual está se envolvendo.

Sr. Grey é um animal sexual, durante o livro eu já tinha até perdido as contas de quantos longos e bem descritos orgasmos eu li. São tantos, mas tantos, que para leitores como eu, nascidos e criados no meio da literatura erótica, todo esse excesso sexual acaba se tornando cansativo e não mais aperitivo. De certa forma que, em um dado momento do livro, eu já esperava mais da história e da trama envolvendo o passado do Sr. Grey do que das cenas calientes e fogosas presentes na obra.

Quando a autora decidiu escrever o livro penso que ela não pretendia fazer as mulheres esperarem mais de seus homens e criarem ainda mais expectativas dos seus companheiros. Não queria, mas é difícil não pensar depois de ler “por que eu não posso conseguir um homem como o Sr. Grey para me proporcionar três orgasmos seguidos, executar um duplo twist carpado comigo na cama e me fazer acordar feliz e linda todos os dias com um sorriso na cara pensando ‘chupa, sociedade’?”. O livro instiga a mente de quem lê e proporciona, a seu modo, novas descobertas, podendo, talvez, até apimentar a vida de muita gente mundo afora.

O livro também é um prato cheio para leitores ainda não acostumados com esse tipo de trama, para os outros, é só mais um prato. É o tipo de obra alvo para atrair novos leitores e para difundir ainda mais o hábito pela leitura, tanto pela simplicidade com que a história foi concebida quanto pela escrita de fácil compreensão. Escrever fácil é muito difícil, e a E. L. James foi bem feliz quanto a esse aspecto. Em setembro será lançado Cinquenta Tons Mais Escuros, o segundo livro da trilogia. Enquanto isso, a gente tenta usar a nosso favor todo o universo sexual que a autora criou e torce para que nosso segundo livro  o erotismo continue, só que dessa vez acompanhado de muita história.

Nota: 3 corvos.
 

19 comentários:

  1. Concordo que depois de um tempo as cenas calientes se tornam repetitivas e dá vontade de passar as páginas sem ler, mas o segundo livro e o terceiro compensam em história !

    E realmente, senão por outra coisa, o mérito do livro é grande em trazer mais leitores para o gênero erótico e para a literatura em geral ;)

    ResponderExcluir
  2. Não gostei do livro, não é por causa do erotismo, mas é muito mau escrito, a narração sem graça. Não vale a pena gasta dinheiro nesse livro.
    Gosto não se discute, cada um tem o seu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo... a narrativa deixa um pouco a desejar... mas como a autora é inexperiente, eu já até esperava isso. Mas ouço pessoas dizendo que no segundo livro da trilogia a autora dá uma guinada e espero que as pessoas que me disseram isso estejam certas, porque já tá curioso pro segundo.

      Excluir
  3. Parabéns pela resenha Elder! Muito em breve pretendo ler Cinquenta Tons de Cinza, mas não estou muito animada não. Abraços!

    ResponderExcluir
  4. OI :)

    Por ser um livro muito comentado no mundo dos blogs, quero muito ler.
    Apesar de tanto erotismo..

    Beijos :*
    Ótima resenha ,
    Natalia do blog Entre Livros e Livros (http://musicaselivros.blogspot.com.br/)
    Já estou seguindo o seu blog, e obrigada por seguir o meu :)

    ResponderExcluir
  5. Oi, Elder, gostaria de avisar que a URL do meu blog mudou! Passou de luenealves.blogspost.com para
    http://instituicaojovensprodigios.blogspot.com.br/

    Dê uma passada porque está rolando uma promoção!
    Beijos =D

    ResponderExcluir
  6. "O encontro, produto do acaso, entre a mocinha simples camponesa de nobre coração – que vai todos os dias ao bosque recolher lenha – e o experiente diretor executivo da Grey Enterprises, é o passo inicial para um relacionamento diferente dos convencionais e uma passagem sem volta com destino ao quarto vermelho da dor."
    M.O.R.T.A!!! HAHAHAHAHAHHAHAH'

    Tuas resenhas são sempre lindas e divertidas!
    ADOREI!!!

    ResponderExcluir
  7. Não o li mas já escrevi sobre ele. Na verdade escrevi a partir de um documentário cujo tema girava em torno desse livro, com a opinião de psicanalistas a respeito do assunto principal, o sadomasoquismo.

    Gostei do teu texto, informativo, pessoal e com bom humor. :)

    Abraços, até a próxima.

    www.doseliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  8. Esse livro causou demais. Eu li várias pessoas falando que era uma grande droga, outras dizendo que era tudo de bom e enfim... Fiquei confusa se leio ou não. Eu quero é achar em PDF, porque se eu comprar e me arrepender, vou querer me matar. KKKKK Ok, adorei a resenha. Parabéns pelo blog!

    Beijos,
    Monique <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então... é o tipo de livro que desperta tudo quanto é sentimento: de amor até repulsa. MAS gosto não se discute, não é? (mentira, se discute sim)

      Excluir
  9. Ainda tenho certa curiosidade por esse livro, apesar de não fazer o meu estilo de história por causa dessa relação entre o Mr. Grey e Anastasia, pra ver como funciona exatamente, pois pra aceitar um contrato desses a mulher deve tá perdidamente apaixonada mesmo hahaha. Ótima resenha, e adorei a referência a Chapolin. hahah

    ResponderExcluir
  10. Nossa, eu já li vários livros deste estilo, mas pelo quote que você colocou, fiquei um pouco apavorada, rs.
    Mesmo assim ainda quero ler o livro.
    Beijos.
    Alana - Acompanhada pelos Livros

    ResponderExcluir
  11. Uau, que resenha. Eu nunca tinha lido nenhuma tão profunda sobre o livro. Infelizmente ainda não pude comprá-lo, mas estou curiosíssima, obviamente.
    Fiquei um pouco nervosa com o contrato. rsrsrs! Mas vamos ver a reação que o livro vai causar em mim.
    Beijinhos!
    Giulia - prazermechamolivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. é teve uma criticas negativas ao primeiro livros mais acredito que isso vá melhorar no segundo que está por vir!
    amei sua resenha, bem... A VERDADE!
    parabéns pelo blog!

    http://leituradeouro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Finalmente consegui comentar hahaha
    Então, gosto da quantidade de teor erótico na obra e não perdeu a graça nenhum instante para mim, mesmo tendo Anaïs Nin e Henry Miller como livros de cabeceira >.<

    Uma coisa que me irritou bastante durante a história é a teimosia da Ana em aceitar que o cara gosta dela. Isso enche a paciência. "Oh! Não, ele só quer usar meu corpo, Kate! Ele não gostam de mim"

    ResponderExcluir
  14. Então, eu queria muito ler uma resenha de Cinquenta Tons de Cinza feita por um homem.

    Gostei mais ou menos do livro e até listei os pontos positivos e negativos em minha resenha. Pra mim, mesmo desacostumada com o gênero, foi apenas mais um livro. ;)

    Beijos!

    PS. SORTEIO de Cinquenta Tons de Cinza lá no blog.

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderExcluir
  15. Pois é a cada resenha que leio fico mais curiosa pra ler meu livro, mas essa semana não tive tempo de ler nada =/
    Gostei muito da resenha e da sinceridade na hora de escrever
    Ainda não sei o que esperar além das cenas quentes que todos comentam, parece que o livro só tem isso.

    Beijos

    http://vdsweetlove.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Não tenho vontade de ler esse livro :( Acho que sadomasoquismo não é minha onda. http://descobrindolivros.blogspot.com.br/
    Abç

    ResponderExcluir
  17. Super concordo com você em vários aspectos... Antes de lançar 50 tons eu já estava acostumada com esse tipo de leitura e preciso dizer que já li bem melhores! Beijos (;

    http://ourbooksontheshelf.blogspot.com.br/?m=0

    ResponderExcluir