skip to main | skip to sidebar

O EPITÁFIO


Elder Ferreira

Barca Boa - Conto


Pegou no meu braço com força bruta, num estampido forte, numa surra de boa intenção. Confesso a vontade, ninguém tão perto, sem populações, sem nada. Deixei a falta de ritmo se apoderar de todos os movimentos involuntários que nos surgiam, nasciam alterados, acelerados, lascivos, formados dessa falsa paixão. Ficou assim, nessa respiração vaga, numa espera incontida de um e de outro. Um passo se houver o teu passo, seu passo se houver meu passo, movimentos dependentes.
Desde o primeiro dia de viagem fitávamo-nos cheios de segredo, repletos das más intenções. O tempo passava desesperado e uma ladainha de indiretas e confissões que não são confissões ocupava os dias de férias. Entendiam as meias palavras quem queria e conforme queria, mas todos ouviam. Vive-se de acordo com suas próprias interpretações. Agora, no entanto, retornávamos pras nossas casas no caminho do rio.
Sem mudar de posição, os braços meus seguros naquelas mãos alheias, com um espaço não muito longe entre nosso físico, ainda na espera de uma reação. Voltávamos pra cidade, pra poeira, pro aglomerado de gente. Na barca vinham os outros e nós dois, tinha um silêncio, tinha a sensação do nada, tinha as nossas excitações. Foi toda família passar tempo no interior, talvez quem me agarrasse naquele instante fosse família, tão pouco importa. Qualquer um que nos visse, lá atrás da pequena embarcação, qualquer que notasse nossa falta de ação não se exaltaria. Não muito se abriria aos ares, não raro seriam flores e árvores gigantes, tão gigantes como a vontade de devorar o desejo que andava a solta.
Ficamos ali, estáticos, movidos apenas pelo balançar das águas que nos levavam. No ritmo desacelerado dos fins de diversão, de aventuras e viagens. E viemos, sem mais, apenas desejando estar de fato a sós.

12 comentários:

  1. Adorei o texto.
    Me fez relembrar de certas situações do meu passado ^^
    Mto bom ;D

    ResponderExcluir
  2. Ao se tratar de Elder Ferreira, o "ferreiras, e.", não poderia ser melhor o texto. Bons períodos e com detalhes quase que táteis. Realmente um bom texto.

    ResponderExcluir
  3. e graças aos céus e deuses que o desejo não se prende, senão quem iria nos salvar?!

    rs

    beijooooooooo

    ResponderExcluir
  4. "...nessa respiração vaga, numa espera incontida de um e de outro. Um passo se houver o teu passo, seu passo se houver meu passo, movimentos dependentes".

    Amei o jogo de palavras.

    Keidy.

    ResponderExcluir
  5. hiya


    just registered and put on my todo list


    hopefully this is just what im looking for, looks like i have a lot to read.

    ResponderExcluir
  6. Great stuff here, definitely going to check it out later :)

    ResponderExcluir
  7. pretty cool stuff here thank you!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  12. intiresno muito, obrigado

    ResponderExcluir